Pular para o conteúdo principal

Zehel Digital Studio promete trazer 3 jogos Mobile para o começo de 2016

   Não bastava apenas Vitor Zehel voltar ao Youtube para mostrar seus gameplays, ele também tinha que entrar como desenvolvedor de jogos.
   Há cinco anos trabalhando no desenvolvimento de aplicativos móveis pela Agência Digital Virtues de Santos-SP, Vitor Leal Diniz (eu) conhecido no mundo digital como Vitor Zehel, resolveu utilizar seus conhecimentos para aquilo que sempre foi uma de suas paixões: os jogos. Por que jogos? Por que não consoles, playstation, super nintendo, mega drive ou algo do gênero ? Porque além dos jogos eletrônicos, eu sempre gostei de todo tipo de jogo e sempre pratiquei todos os tipos de esportes na escola. Sim, já fui do time de futebol, basquete, volei, xadrez, tênis de mesa, natação, jogava dominó com meu avô (afinal, essa foi a minha herança quando ele morreu, acabei ficando com o dominó do meu avô). Sempre fui esportista em todas as formas  possíveis de ser, por isso, agora gostaria de contribuir nesta área utilizando os conhecimentos que adquiri aos longos desses anos que se passaram.
   Mas diga-nos o que queremos saber, o que são esses jogos ? Qual será o estilo do jogo ? Bem, nós temos dois jogos com temas bem definidos e que já estão em fase de desenvolvimento. O primeiro deles trata-se do Mecenas The Game. O que seria esse jogo ? A história retrata sobre a era do renascimento quando as pessoas começaram a dar mais valor ao conhecimento heulistico além das doutrinas religiosas que na época era predominante a presença da Igreja como  governante dos feudos. Os nobres e os cleros apoiavam um no outro pra permanecer  no poder mas, no meio disso tudo, surgiram talentosos artistas e também pessoas com talento pra negociar, pra ganhar dinheiro. Assim surgiu a classe burguesa. A classe burguesa queria trazer o esclarecimento ao povo mas para isso precisava proteger os maiores pensadores da época, assim surgiram os mecenas. Essa é a história inicial do jogo.
   Mecenas, será um role-playing-game que estará focado inicialmente para ser lançado na plataforma Firefox OS. Resolvemos focar na plataforma da Mozilla por se tratar de uma gigante que trabalha com plataforma Open Web.
  Outro jogo que já temos definido é o MRBS Battle Card. Trata-se de um TCG (Trading Card Game) para fãs de robôs e mechas. Como não temos licença da bandai, não poderemos colocar robôs do Super Robot Wars ou de Gundam no jogo. Faremos todos robôs próprios mas com características similares aos das séries consagradas como Gundam, Macross Frontier, Evangelion, Aquarion, entre tantas outras que são comentadas no blog de mesmo nome: MRBS. Aliás, eu sou um dos moderadores do blog, e achei legal a ideia de criarmos um jogo para nós fãs. Caso queira participar da nossa página o link é: https://www.facebook.com/RobotFans/?ref=ts&fref=ts.


   O último jogo que pretendemos lançar no começo do ano trata-se de algo mais pessoal. O nome será Vitão The Zehel. Apesar de ser um jogo de história bem pessoal, usaremos todos os recursos que as plataformas disponibilizam para ser um jogo primorozo. Por isso, não definimos a categoria desse jogo. Queremos que esse projeto seja mais livre e que tenha um toque de comédia estilo One Punch Man.
   Bom pessoal, então vocês já sabem. Se não estou respondendo mensagens no WhatsApp, Messenger, Twitter ou em outra rede social é porque estou trabalhando muito pra trazer esses jogos para janeiro de 2016. Quem quiser trazer ideias para os jogos pode curtir a página MRBS, Mecenas The Game ou a Vitor Leal Diniz. Se tiverem outras ideias para jogos, estamos ouvindo vocês. Queremos sempre ouvir a opinião do nosso público.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Caos e hackers perseguem investidores nas bolsas de criptomoedas

Dan Wasyluk descobriu da forma mais difícil que as negociações de criptomoedas como bitcoins ocorrem em um ambiente online similar ao Velho Oeste, com os xerifes em grande parte ausentes.

Wasyluk e seus colegas levantaram bitcoins para uma nova empresa de tecnologia e hospedaram-nos como garantia em uma administradora de bolsa de moedas virtuais chamada Moolah. Poucos meses depois, o bolsa quebrou e o homem responsável está aguardando julgamento no Reino Unido, sob acusações de fraude e lavagem de dinheiro. Ele se declarou inocente.

O projeto de Wasyluk perdeu 750 bitcoins, que atualmente valem cerca de 3 milhões de dólares, e ele acredita que tem poucas chances de recuperar dinheiro.


"Realmente o projeto foi um tiro no pé", disse Wasyluk sobre o colapso de três anos atrás. "Se você está começando uma bolsa e você perde o dinheiro dos clientes, você ou sua empresa devem ser 100 por cento responsáveis por essa perda."
As criptomoedas deveria…

The Good Place - Netflix

Dias de chuva a primeira coisa que faço é, caçar algum filme ou série pra assistir na Netflix, Amazon Prime ou algum anime no Chunchyroll. Passando pela lista da Netflix, olhava para essa série mas ficava receoso de assistir e não gostar. Mas, olhando o catálogo e vendo que já assisti quase tudo de novidade resolvi dar uma chance a série mas já doido pra reprovar.

Antes de começar a falar da série, vamos falar do que sabemos da vida pós-morte. Sabemos que cada crença tem um modo de ver a vida pós-morte. Algumas acreditam em paraíso e inferno, outras tem o purgatório (uma espécie de escola de verão pra quem ficou de recuperação no teste da vida), os ateus acham que o pós-morte é mais químico e orgânico, seu corpo servirá de adubo pra natureza e, alguns acreditam em ciclo de reencarnação, onde as pessoas voltam para este mundo com uma nova identidade.

Dissertando um pouco sobre a vida pós-morte, vamos entender agora a série. No começo, quando a protagonista Eleanor morre e vai parar no &q…

Apple volta a ser a maior marca de wearables do mundo

Segundo o Canalys, a Apple voltou a ser a maior marca de wearables (dispositivos que podem ser usados como peças de vestuário) do mundo. No último trimestre, a empresa vendeu 3,9 milhões de unidades do Apple Watch.

Em segundo lugar, veio a Xiaomi, que vendeu 3,6 milhões Mi Bands, e em terceiro a Fitbit, que conseguiu vender 3,5 milhões de unidades do Alta.

No começo do ano, a Apple tinha sido superada pela Xiaomi. Contudo, o lançamento do novo Apple Watch fez com que a Maçã voltasse para a liderança.